terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Ninhos...

Ninhos...você já pode observá-los?


Penso neles somente quando vejo um pássaro carregando algo em seu bico para fazê-lo, sempre admirei essa capacidade. Seres minúsculos tecendo o aconchego...



Hoje pensei em um ninho, ao saber de sua perda, senti que tenho muitos ninhos, diversos, alguns até muito antigos, como a que compartilhava desde muito cedo com você.Podia voar e retornar quando queria...afinal pela própria natureza, nós é que voavamos!



Hoje sinto com alguém muito especial para mim a perda desse ninho, de um pedacinho feito de galhinhos.
Saimos tantas vezes, escondidas, fugidas, afinal tinhamos asas...
Vagamente imaginavamos que talvez um dia ele não mais existiria...


Ele estava sempre ali, as recordações são guardadas com tanto afeto, memória é afeto...
Hoje estou com você minha amiga, sentindo essa perda, lembrando e sentindo essa ligação que sempre tivemos, além do tempo e do espaço...e talvez eles existam de outras formas.
Te deixo aqui, de coração um ninho mais parecido com você,
nada tradicional, mas profundo e vislumbrador...         

De maneira alguma é pretencioso, nada de substituições, tudo que é verdadeiro é único e insubstituivel, mas sempre haverá ( assim espero) um ninho para voltar mesmo que seja de outra forma.


Minha amiga de sempre e sempre, só há o que aprender a ser...
Um abraço muito prolongado e um afeto inestimável!!!

2 comentários:

  1. Quero crer que mesmo em meio a um mundo caótico, sempre há um lugar acolhedor para cada um.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. ...mesmo que seja do outro lado do mundo...

    ResponderExcluir